Daily Archives: 09/04/2017 10:05 am

Senado pode votar criação de documento nacional de identidade

 

 

A criação de um documento que reúne dados biométricos e civis, como Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e título de eleitor, é um dos destaques da pauta do Senado para a próxima semana. O projeto que cria o Documento de Identificação Nacional (DIN) está na pauta do Plenário. Se aprovado sem mudanças, seguirá para a sanção presidencial.

O Projeto de lei da Câmara (PLC) 19/2017 seguiu para o Plenário em regime de urgência. O texto, do Executivo, prevê que o DIN dispensará a apresentação dos documentos que lhe deram origem ou nele mencionados e será emitido pela Justiça Eleitoral ou por delegação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a outros órgãos.

O documento será impresso pela Casa da Moeda, terá validade em todo o território nacional e a primeira emissão será gratuita, como já ocorre com o RG. Já os documentos emitidos pelas entidades de classe somente serão validados se atenderem aos requisitos de biometria e de fotografia conforme o padrão utilizado no DIN.

Conforme o texto, o DIN será emitido com base na Identificação Civil Nacional (ICN), criada pelo projeto com o objetivo de juntar informações de identificação do cidadão. A nova base dados será gerida pelo TSE, que garantirá o acesso à União, aos estados, ao Distrito Federal, aos municípios e ao Poder  Legislativo. A integração da ICN ocorrerá ainda com os registros biométricos das polícias federal e civil.

(+) Comentário do programa – Identidade e CPF já vinham juntos, a novidade é a inclusão do Título de Eleitor. Com um inconveniente, as mudanças de domicilio eleitoral talvez obriguem a tirar novo documento de identidade. Não sabemos se será incluído a Carteira Nacional de Habilitação, cuja mudança também obrigaria a mudar o documento de identidade.  (LGLM)

Temer diz que cedeu até onde podia na Previdência, mas admite ceder mais (+)

 

(Deu na Folha)

O presidente Michel Temer afirma que o governo cedeu ao Congresso até onde podia ao concordar em mudar cinco pontos da reforma da Previdência na quinta-feira (6).

Ele diz que o “ponto fundamental” do projeto é estabelecer uma idade mínima de aposentadoria, mas admite a possibilidade de criar uma diferenciação para mulheres.

“Convenhamos: se nós tivermos a idade de homem de 65 anos, e a de mulher 64 ou 63, não significa que não tenha sido feita uma grande conquista”, afirmou o presidente à Folhaem entrevista em seu gabinete no Palácio do Planalto nesta sexta (7).

Em seguida, fez a ressalva: “Ainda não está em pauta essa última matéria. Vamos verificar mais para a frente se é necessário ou não”.

O plano do governo é guardar isso como uma carta na manga para as negociações da reforma quando ela estiver para ser votada no plenário da Câmara.

O presidente não quis arriscar uma previsão de votos no projeto. “Não consultei ainda os numerólogos. O que precisamos saber é no dia da votação. Agora, qualquer avaliação é precipitada”, diz.

Temer argumenta que as mudanças acertadas com o relator, deputado Arthur Maia (PPS-BA), têm impacto “mínimo” sobre a economia que será feita com a reforma.

As mudanças acertadas são: regras de transição e da aposentadoria rural, acúmulo de pensão e aposentadoria, aposentadorias para policiais e professores, e o benefício assistencial pago a idosos e pessoas com deficiência pobres.

“Cedemos até onde podemos”, sustenta. “O ponto fundamental da reforma é a questão da idade. Se fixarmos uma idade mínima, porque hoje as pessoas se aposentam com 50 ou 49 anos, já damos um passo avançadíssimo.”

Temer anunciou que não pretende editar medida de proteção para trabalhadores atingidos pela lei que regulamenta a terceirização. Na sua avaliação, a proposta não causa prejuízo aos empregados.

Ele avalia que não cometeu “nenhum erro” desde que assumiu o Planalto, há 11 meses. “Cometi acertos. E acertos derivados de muita coragem. Não creio que tenha praticado nenhum erro”, disse.

Segundo ele, Renan Calheiros (PMDB-AL) está “atrasado, segundo as concepções da realidade”, nas críticas que faz a seu governo. Temer diz não ver “nenhum” conflito de interesses em sua relação com o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes. “E daí? A gente não pode conversar?”

(+) Comentário do programa – As alterações na Reforma da Previdência admitidas por Temer são mera confeitaria. A proposta continua prejudicando os trabalhadores. Com relação à terceirização ele mente. O projeto prejudica os trabalhadores fragilizando o contrato de trabalho. Quem estiver vivo daqui a cinco anos, vai dizer se eu tinha ou não razão em dizer que a terceirização prejudica o trabalhador. Tenho uma amiga que trabalha para uma empresa de terceirização. A empresa está em vias de falência e ela não tem nenhuma garantia de que vai receber os direitos dela. De uma empresa anterior, também de terceirização, ela só recebeu porque entrou na Justiça e conseguiu bloquear valores que a contratante tinha para pagar à terceirizada. E assim mesmo ainda perdeu parte dos direitos que tinha a receber. (LGLM)

Por idades iguais na aposentadoria

 

(Ruth de Aquino colunista da revista Época)

Afinal, meninas, vocês querem ou não igualdade? Na reforma da Previdência, o presidente Michel Temer, que não sabe mais o que fazer ou falar para agradar às mulheres, talvez por ser da geração “equivocada” do ator José Mayer, já pensa em recuar da idade mínima de 65 anos para aposentadoria. Como forma de compensar a dupla ou tripla jornada, mulheres poderiam se aposentar aos 62 anos, três a menos que os homens.

É como o veneno na maçã vermelha. Conceder à mulher o direito de se aposentar antes do homem é, na verdade, uma armadilha, um presente de grego, um reforço de estereó­tipo, uma admissão de que a sociedade deve tratar homens e mulheres de forma desigual. É manter o statu quo e perpetuar a noção de que homem é o provedor e não precisa cuidar dos filhos nem da casa, num país em que cerca de 40% de mulheres são chefes de família. Manter privilégio na aposentadoria significa incorporar a discriminação na vida ativa e no trabalho. Há sempre dois lados da moeda.

A bancada feminina na Câmara, um número irrisório de 55 deputadas num total de 513, isso sim um escândalo, pressiona o tadinho do Temer, casado com uma mulher com M maiúsculo, que se desequilibrou do salto altíssimo na nomeação de generais no Planalto, mas que ainda assim encontra tempo para cuidar do filho, Michelzinho, e checa todos os preços nos supermercados, contribuindo assim para a economia do país. A presença de Marcela em solenidades, segundo funcionários do governo, ajuda a melhorar a imagem do septuagenário Temer, que no mesmo dia recebeu rei e rainha da Suécia e pastores evangélicos.

Imagem, porém, não é tudo, presidente. Temer diz que o senador Renan Calheiros “vai e volta”, por isso seus ataques não devem ser levados tão a sério… Mas o presidente também se comporta como um ioiô na reforma da Previdência. Bajula o Congresso, dizendo que é “o centro das aspirações populares” (o povo acha isso mesmo?).

Sem entrar no mérito dos outros recuos para aprovar a reforma, a idade mínima diferente para homens e mulheres não deveria sequer ser cogitada, Temer. E imaginar que as deputadas que reivindicam que mulheres se aposentem aos 60 anos pertencem a partidos de esquerda, centro e direita, volver… Todas as ideologias. Prestam assim um desserviço ao país e à luta pela igualdade. Ignoram que, na população feminina, existe mulher de tudo que é jeito e orientação sexual.
Uma ou outra percebe a incongruência. Mara Gabrilli (PSDB) disse: “Não vejo muito essa necessidade de diferenciação (na idade mínima). As mulheres já vivem mais. É só olhar nos bailes de terceira idade. Falta homem para dançar”. Falta homem para um monte de coisas. E também falta mulher em um monte de lugares. No Congresso, nas posições de CEO das empresas (são 16% no Brasil) e por aí vai.

Chegou-se a estudar uma ideia de manter a idade mínima de 65 anos e oferecer bônus para mulheres com filhos, que também dependeria do número de pimpolhos. Ao jornal Valor, o deputado Arthur Maia (PPS) disse que o bônus seria justo. Mulheres sem filhos teriam o mesmo tratamento dos homens porque “não têm o efeito da dupla jornada com a responsabilidade de conciliar o trabalho doméstico com o externo”.

Que confusão. Nesse caso, teríamos três categorias de trabalhadores para definir idade mínima de aposentadoria. Os homens, as mulheres sem filho e as mulheres mães. Que tal dividir e complicar mais ainda? Os homens héteros e casados. Os separados que também cuidam dos filhos ou que têm a guarda dos filhos. Os homens que não são pais. Os gays sem filhos, os gays com filhos. Não dá. O correto é mudar, com leis, educação e atitudes, as percepções de gênero.

Guardadas todas as proporções, é inédito o desfecho do assédio do galã sexagenário José Mayer à figurinista de 28 anos Susllem Tonani, conhecida como Su. Primeiro, ela teve a coragem de denunciar o assédio em toda a sua crueza em blog do jornal Folha de S. Paulo. O que começou como elogio e cantada de José Mayer passou a intimidação física (“com mão na genitália”) e ataque verbal: “Vaca!”, diante da recusa de Su em ceder às investidas do ator, casado e com uma filha.

Tudo o que se seguiu foi também inédito. A solidariedade de atrizes e funcionárias com camiseta Mexeu Com Uma Mexeu Com Todas. A suspensão, pela TV Globo, do ator, por violar os valores da empresa. E a leitura, no Jornal Nacional, da carta de José Mayer, em que ele admite: “Errei no que fiz, no que falei e no que pensava”. E errou também no que escreveu, ao se fazer de vítima: “Tristemente, sou fruto de uma geração (machista)”. Mexeu com um, mexeu com todos. Homens da idade de José Mayer, que nunca se comportaram como ele, protestaram: “Me inclua fora dessa”. O Brasil mudou.

Temer vai canonizar Lula

 

(Publicado no Patos Online)

Que me perdoem meus amigos católicos. Não vejam aqui nenhum sacrilégio. Nos dias de hoje, Temer jamais viraria papa. Os últimos deles foram verdadeiros santos. Temer será visto, pelas próximas gerações, como o oposto deles.

Mas por que a referência à pretensa canonização de Lula? É que Lula decepcionou completamente os trabalhadores que acreditaram nele e no seu PT. Enganou os trabalhadores com o bolsa-família que vicia muita gente na preguiça e na indolência. Tornou-se para muitos um verdadeiro santo. Até com direito a uma romaria, quando as águas da Transposição chegaram a Monteiro.

Enquanto isso, comandou um verdadeiro assalto ao patrimônio dos brasileiros, através do esquema que locupletou os políticos que o acompanhavam e o apoiavam, objetos hoje da Operação Lava-Jato. E para completar nos impingiu um “poste”, a ex-presidente Dilma, que terminou de quebrar o país. E de quebra tivemos que herdar Michel Temer, duas vezes vice de Dilma. Ou seja, jogou duas bombas no colo dos brasileiros: Dilma e Temer.

Não adianta os petistas quererem colocar toda a culpa do desastre que  acomete o país na conta de Temer. Todos os ministros de Temer, execrados hoje pelo PT, foram colaboradores de Lula e de Dilma.

Mas afinal, por que Temer canonizaria Lula?

Quando os brasileiros de todas as classes e categorias abrirem realmente os olhos, vão ver como os governos petistas afundaram economicamente o país. Principalmente com a roubalheira aos cofres públicos, que sempre existiu, mas nunca numa escala tão astronômica como a que atingiu o país nos treze anos petistas. Que ironia! Treze é o número do PT. De sorte para ele, de azar para nós. E não venham me dizer que Sérgio Moro com sua Operação Lava Jato inventaram tudo. As evidências estão em toda parte. As “maracutaias” sempre existiram, mas não em escala de bilhões como aconteceram na era petista.

Mas, se os petistas e seus sócios e concorrentes afundaram economicamente o país, Temer atenta agora contra aquilo por  que os petistas tanto diziam lutar: os direitos dos trabalhadores brasileiros. Depois de verem o país quebrado, os trabalhadores estão prestes a perderem muitos dos direitos trabalhistas e previdenciários que adquiriram com suas lutas ao longo dos últimos cem anos ou mais.

O primeiro atentado aos direitos dos trabalhadores foi a aprovação da terceirização indiscriminada, em todas as empresas e em todas as atividades. A terceirização precariza o contrato de trabalho e traz insegurança para os trabalhadores. A desculpa é combater o desemprego. Quem viver verá que pior do que o desemprego é a insegurança de não saber se amanhã estará empregado. Na hora em que você olhar de cara feia para o patrão, ele dispensa você e contrata um terceirizado. E se você já for terceirizado ele não tem nem despesa é só pedir que a empresa que o terceirizou troque você por outro.

Outros atentados vêm por aí. A reforma trabalhista vai tirar muitos direitos dos trabalhadores. Vai criar mais insegurança. Vai colocar os direitos dos trabalhadores nas mãos dos sindicatos e dos patrões, sem que os trabalhadores possam recorrer à Justiça, alegando o que lei lhes garantia. Os acordos entre sindicatos e patrões valerão mais do que a CLT. Isto num país em que existem mais sindicatos “pelegos”, ou seja, comprometidos com os patrões, do que sindicatos sérios. A maioria dos presidentes dos sindicatos está mais preocupada em “se arrumar” do que em defender o interesse dos trabalhadores. E aí, quem defenderá os trabalhadores de sindicatos que estão no “bolso” dos patrões? Que me perdoem os poucos sindicatos realmente sérios.

Outro atentado contra os trabalhadores será contra aquilo que devia ser a garantia de uma velhice tranquila: a Previdência. Claro que a Previdência precisa de uma reforma, mas de uma reforma que garanta os seus direitos, não que lhes tire estes direitos. O Governo tem que combater e impedir novas fraudes contra a Previdência. Cancelar aposentadorias e benefícios conseguidos mediante fraude. Tem que cobrar das grandes empresas que não recolhem o que devem à Previdência. Tem que fiscalizar para que não existam tantos trabalhadores sem carteira assinada e sem que, consequentemente, recolham para a Previdência. Tem que “tapar os ralos” por onde se desperdiçam os recursos da Previdência, antes de colocar uma futura aposentadoria cada vez mais longe do alcance dos trabalhadores.

Depois destes atentados aos direitos dos trabalhadores, Temer e seu governo vão virar a “besta do Apocalipse” e Lula, um verdadeiro santo.  (LGLM)

 

MPF/PB denuncia servidores de instituto de previdência de Patos e assessora da prefeitura (+)

 

O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF/PB), por meio da Procuradoria da República no Município (PRM) de Patos, denunciou dois servidores do Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município (Patos Prev) e uma assessora da Prefeitura Municipal. São eles: Edvaldo Pontes Gurgel (superintendente da Patos Prev), João Lima Filho (diretor financeiro do instituto) e Ivanir Chaves Fagundes (assessora para assuntos financeiros, a serviço da Prefeitura de Patos).
As investigações indicam compra de títulos públicos federais superfaturados nos anos de 2006 e 2007 (primeiro mandato de Nabor Wanderley). Os atos de gestão fraudulenta foram identificados a partir de análise de demonstrações contábeis, extratos bancários das aplicações financeiras e outros documentos obtidos durante auditoria do Ministério da Previdência Social, realizada em 2008.
As penas previstas para os crimes contra o sistema financeiro nacional, que contemplam os três denunciados, são de 3 a 12 anos de reclusão e multa.
Na ação penal, o MPF em Patos requer a aplicação da pena privativa de liberdade, em montante a ser proposto em alegações finais; além da aplicação da perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo dos denunciados, como efeito da condenação; bem como a fixação do valor mínimo para reparação dos danos causados pela infração, considerando os prejuízos causados ao instituto Patos Prev.
Após perícia contábil realizada pela Polícia Federal, identificou-se um dano atualizado aos segurados da Patos Prev de R$ 636.146,74.

(Assessoria do MPF)

(+) Comentário do programa – É uma pena ver pessoas de reputação ilibada, como Edvaldo e João, envolvidos com fatos desta natureza. Temos certeza de que não houve má-fé nem locupletação de parte deles. Se alguém se locupletou com a compra superfaturada destes títulos, certamente, não foram eles, a quem conheço há muitos anos. João, como bancário, Edvaldo como servidor público, hoje aposentados, ambos de reputação ilibada. (LGLM)

MPF/PB recomenda revisão do Bolsa Família em Patos e mais 25 municípios da região (+)

 

O Ministério Público Federal da Paraíba (MPF/PB), por meio da Procuradoria da República no Município (PRM) de Patos, enviou recomendação para 26 municípios do estado, para que seja realizado um levantamento entre os beneficiários do Programa Bolsa Família, a fim de sanar eventuais irregularidades na execução do programa do governo federal.

De acordo com a recomendação, as prefeituras devem realizar, no prazo de 60 dias, a revisão dos cadastros do programa, precedida de visita às famílias beneficiárias, com foco no requisito de renda per capita. A intenção é verificar se há inconsistência nos benefícios pagos a servidores públicos, doadores de campanha, empresários, servidores públicos doadores de campanhas e falecidos.

As prefeituras devem, ainda, enviar ao MPF uma relação com os CPF’s das pessoas cadastradas no Bolsa Família, cujo benefício foi cancelado em consequência da revisão, também no prazo de 60 dias.

O MPF em Patos também recomendou que as relações dos beneficiários do programa sejam afixadas nas prefeituras e nas agências da Caixa Econômica Federal de cada cidade, pelo prazo de seis meses, a contar da data de recebimento da recomendação.

A recomendação é dirigida aos municípios de Areia de Baraúnas, Cacimba de Areia, Cacimbas, Catingueira, Condado, Desterro, Emas, Junco do Seridó, Malta, Manaíra, Matureia, Mãe D´água, Olho D´água, Passagem, Patos, Quixaba, Salgadinho, Santa Luzia, Santa Teresinha, São José de Espinharas, São José de Princesa, São José do Bonfim, São José do Sabugi, São Mamede, Teixeira e Várzea.

As recomendações, assinadas pelo procurador da República Tiago Misael de Jesus Martins, foram expedidas no âmbito do Inquérito Civil Público nº 1.24.002.000041/2017-35.

(Assessoria de Comunicação)

(+) Comentário do programa – No final do ano passado, o Governo Federal já suspendera e cancelara benefícios de bolsa-família em todo o país, depois de passar “um pente fino” no Cadastro Único. A prefeituras foram orientadas a recadastrar aqueles que tiveram benefícios suspensos ou cancelados, corrigindo possíveis erros nos seus cadastros. O trabalho no Governo Federal foi feito em cima dos cadastros. Agora o Ministério Público Federal quer que as prefeituras verifiquem a consistência dos cadastros sob suspeita, inclusive mandando que seus assistentes sociais vão até a casa dos beneficiários para comprovar se estão corretas as informações dadas ao Cadastro. Ou seja, ao invés de simplesmente esperar que os prejudicados procurem regularizar suas situações, o Ministério Público Federal quer uma atitude ativa das prefeituras, mandando fiscalizar “in loco”, ou seja na própria residência dos suspeitos, se as informações dadas estão corretas. (LGLM)

“A gente chega aqui duas/três horas da manhã e nem tem certeza do atendimento”, relata cidadão na Delegacia (agência) do Trabalho, em Patos (+)

 

A precariedade no atendimento para aos cidadãos que buscam a Delegacia (Agência local) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para resolver questões inerentes ao órgão ainda causam revolta na cidade de Patos. A reclamação maior está na solicitação da Carteira de Trabalho devido a falhas no sistema e também ocasionadas pelo pouco número de funcionários para a demanda de dezenas de municípios no sertão da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e até do Ceará.

Nesta terça-feira, dia 04, a senhora Kirla Gomes se indignou ao buscar a retirada da 2ª via de sua Carteira de Trabalho na delegacia (agência local) do MTE/Patos. Ela disse que está a quase uma semana tentando conseguir êxito, mas tem enfrentado problemas no atendimento. “A gente tem que chegar aqui duas três horas da manhã. Quando a gente chega às vezes tem um cartaz ali fora dizendo que não vai ser atendido. Isso vai a semana todinha. Quando foi hoje, as pessoas de ontem vieram para ser atendidos hoje…só é uma pessoa para atender. Tá um descaso! ”, relata Kirla.

A chefe substituta da Delegacia (agência local) do MTE, Janicleide Oliveira, confirmou as dificuldades devido a precariedade dos equipamentos, poucos funcionários e internet com velocidade incompatível com a necessidade do órgão. A chefe disse que são atendidas 20 pessoas por dia das 07 às 13h30. Janicleide comentou que as soluções dos problemas estão além da força de vontade local, pois dependem de decisões superiores.

Com a solidariedade do Ministério Público do Trabalho (MPT) poderá ser melhorada a velocidade de internet. O MPT funciona no mesmo prédio da delegacia do MTE e vai emprestar a internet com mais velocidade à delegacia.

(Jozivan Antero – Patosonline.com)

(+) Comentário do programa – A precariedade no atendimento na agência local do Ministério do Trabalho vem de muito tempo. Principalmente por falta de funcionários. Até 2015 havia três funcionários efetivos. Com a aposentadoria de Aluce Nóbrega ficaram apenas dois. Foram conseguidos dois outros cedidos por outros órgãos públicos, mas mesmo assim eram insuficientes, por conta da grande área geográfica atendida pela agência de Patos. Com a licença da atual chefe da agência (Delegacia só em João Pessoa), em licença-maternidade, e o retorno de uma funcionária cedida, para sua repartição de origem, o contingente voltou a apenas dois funcionários, além de uma serviços-gerais e uma recepcionista terceirizadas. A precariedade continua. E o problema não é só na emissão de carteiras. Também não há quem faça a homologação das rescisões de contratos de trabalho, obrigando periodicamente a que se desloque um auditor fiscal, de João Pessoa, para fazer homologação em Patos. A Superintendência em João Pessoa, sabe da situação e tem feito de tudo para resolver os problemas. Inclusive está fazer todo esforço para ver se o Estado passa a emitir carteiras profissionais, através da Casa da Cidadania, que aqui funciona no Shopping SEBRAE. Aa casas da cidadania já emitem carteiras em João Pessoa, Campina Grande e Guarabira. (LGLM)

Mãe d’Água: Secretaria de Cultura, Desporto, Turismo e Lazer apresenta balanço das ações realizadas nesse trimestre (+)

 

À exemplo da Secretaria Municipal de Agricultura, a Secretaria de Cultura, Desporto, Turismo e Lazer de Mãe d’Água também apresentou um balanço das ações realizadas pela pasta no primeiro trimestre de 2017.

Nesse período, que também compreende os primeiros meses da nova gestão municipal, a Secretaria fez um levantamento de todos os estabelecimentos que compõem a pasta e os problemas encontrados em cada um, para que fossem sanados e se pudesse oferecer um melhor atendimento à comunidade, como também melhorias no ambiente de trabalho de seus colaboradores.

De acordo com o secretário executivo da pasta, José Elinaldo da Silva Oliveira, para melhor o atendimento, bem como para que se pudesse trabalhar de acordo com as necessidades de toda comunidade, “uma das primeiras ações implementadas foi o expediente diário na Secretaria.

“A partir deste expediente, de segunda a sexta-feira, pudemos acompanhar melhor ações como a reabertura da Biblioteca Municipal, que se encontrava com suas atividades paradas; também reativamos o trabalho com a Filarmônica 26 de Dezembro, disponibilizando, inclusive, coordenador para dar expediente na sede da mesma. Após a volta de suas atividades, a Filarmônica já pode voltar a se apresentar nos eventos aqui no município e fora dele, e já se apresentou Carnaval Social, Dia Internacional da Mulher e no I Seminário Regional de Fomento à Agricultura Familiar e tiveram uma participação em um evento na cidade de Desterro, onde foi aplaudida e bem recebida por todos os presentes”, destacou Elinaldo.

(Ascom | Prefeitura de Mãe d’Água)

(+) Comentário do programa – A transição pacífica que aconteceu em Mãe Dágua tem facilitado a vida dos novos administradores. (LGLM)

Transposição: Bancada Paraibana luta para liberar R$ 40 milhões destinados à construção do Ramal Piancó

 

A bancada federal paraibana vai unir forças para liberar R$ 40 milhões em emenda destinada para a construção do ramal da transposição das águas do rio São Francisco com entrada pelo Vale do Piancó. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (5) durante reunião dos parlamentares da Paraíba. “Vamos manter audiência com o Ministério do Planejamento para pedir prioridade na liberação desse recurso. O Ramal Piancó é urgente, pois quem tá com sede não pode esperar”, disse o coordenador da bancada, Benjamin Maranhão (SD).

A reunião da bancada teve o objetivo de discutir o contingenciamento das emendas de bancada impositivas anunciadas pelo Governo Federal. Pelos cálculos, haverá um corte de aproximadamente R$ 119 milhões dos recursos destinados ao Estado.  O valor original era R$ 224,6 milhões. “Mesmo sendo algo momentâneo, um congelamento, elencados prioridades e iremos lutar para não perder recursos”, comentou.

O terceiro braço da transposição do São Francisco pelo Rio Piancó e Coremas-Mãe D’Água na Paraíba atenderá toda uma região que sofre com a crise histórica. O projeto  prevê a construção de um conjunto de adutoras que vai garantir a chegada da água para 18 municípios que possuem problemas de abastecimento.

O Ramal Piancó, conforme explicou Benjamin, é um canal que vai perenizar o Rio Piancó, abastecendo o maior conjunto de barragens da Paraíba, que é o Coremas-Mãe D’Água.

(Fonte – Clickpb)

Eduardo Cunha ameaça fazer delação e diz que pode ‘explodir’ o mundo empresarial (+)

 

(Do Painel da Folha)

O último recado enviado pelo ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi tão colérico que fez até seus aliados mais fiéis se afastarem. A um parlamentar, ele avisou que chegou ao limite e ameaçou fazer delação premiada. Disse que tem material para “explodir” o mundo empresarial, a começar por gigantes do setor de carne, já abalados pela Operação Carne Fraca, deflagrada pela PF no último mês. Seus advogados, porém, continuam negando que ele tenha disposição em fazê-lo.

Quem acompanha de perto os desdobramentos da Lava Jato acredita que Cunha seguirá o exemplo de Duda Mendonça e tentará fechar acordo de colaboração com a PF, e não com os procuradores. Dizem ainda que ele e o corretor Lúcio Funaro, também preso, jogam juntos.

(+) Comentário do programa – A estas alturas tem gente perdendo o sono com medo da delação de Eduardo Cunha. Principalmente aqueles que Cunha acha que o abandonaram. (LGLM)