Daily Archives: 08/08/2017 10:38 pm

Famílias de baixa renda podem se cadastrar no Programa “Conta Comigo” da Energisa  

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social em parceria com a Energisa está atendendo a população, com um setor exclusivo na sede da secretaria, funcionando de segunda a sexta-feira, das 8h as 13h30, para inserir e atualizar cadastros de famílias no Programa “Conta Comigo”, que dá descontos de até 65% nas contas de energia das residências classificadas como de família que possui baixa renda.

 

A adesão ao programa Conta Comigo é gratuita e para se cadastrar é necessário apresentar documentos pessoais como RG e CPF, número do NIS e a conta de energia de sua residência.

 

Tem direito aos descontos na conta de energia as famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita até meio salário mínimo (hoje: R$ 468,00); pessoas amparadas pelo Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) e as famílias inscritas que tenham portador de doença ou deficiência cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica.

 

A coordenadora do Bolsa Família, Michelle Oliveira, conta que esse atendimento já está sendo realizado na sede da secretaria há uma semana. “Esta é uma boa oportunidade para as famílias classificadas como de baixa renda de Patos fazerem seu cadastro neste programa, que dá bons descontos na conta de energia e contribui para a renda familiar”, comentou.

 

Faleceu, na tarde desta terça-feira, em João Pessoa, Francisco Torres de Morais

Faleceu, às 16h, desta terça-feira, 08/08, no Hospital Samaritano, na capital do Estado, Francisco Torres de Morais. Antigo ferroviário, Chico Torres, tinha 91 anos e residia na capital do Estado, para onde foi depois da aposentadoria. Deixa viúva Maria das Neves Bezerra de Morais, de quem teve sete filhos: Marineves, Francinaldo, Francivaldo (Tenente Bezerra), Francineves, Franciberto, Francisco Torres de Morais Filho e Francileudo. O corpo está sendo velado no Rosa de Saron, na avenida Vasco da Gama, em João Pessoa, e será sepultado nesta quarta-feira, às treze horas, no Parque das Acácias, também na capital. Tio Chico era o mais novo dos dez irmãos de meu pai, de quem restam ainda três irmãs: Maria, Inácia e Luzia.

Relatório da PF afirma que Cunha tinha influência sobre parlamentares do PMDB, diz o Globo

(Patos Online)

 
  • Parlamentares.jpg
Um relatório da Polícia Federal produzido a partir de mensagens capturadas do telefone do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Lava-Jato, mostra que os tentáculos do político alcançavam as mais diversas áreas.

O ex-deputado influenciava nomeações para cargos públicos, distribuição de propina para o PMDB e até vagas de internação de hospitais do Rio. Quando o assunto era o pagamento de vantagens indevidas, ele se garantia. “Chegou! Valeu. Agradeça lá”, escreveu o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), também preso, em mensagem de 2012. “Claro, não tinha dúvidas. Aqui se atrasa, mas não falha”, responde Cunha.

O diálogo foi um dos muitos em que Cunha e Alves acertam suposto pagamento de propina, muitas vezes oriunda de empreiteiras. No dia 15 de agosto de 2012, Alves havia cobrado o pagamento de propina que viria da Carioca Engenharia, segundo a interpretação dos investigadores. Aparentemente, a cobrança deu certo, porque o agradecimento foi repassado a Cunha no dia seguinte.

As trocas de mensagens foram feitas ao longo de 2012 e estavam no celular de Cunha, que foi apreendido pela PF em buscas feitas em dezembro de 2015. O relatório foi concluído em dezembro de 2016 e enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF). Somente agora foi retirado o sigilo do documento. O material será encaminhado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que poderá juntá-lo a inquéritos que já estão em curso na Corte.

Em outros diálogos, Cunha aparece dando orientação para que outros parlamentares atuem por ele em medidas provisórias.

Em 2012, Cunha mandou mensagem para o deputado Hugo Motta (PMDB-PB) para atuar em nome dele. “Acredita-se que o ex-parlamentar (Cunha) utilizaria, supostamente, do deputado Hugo Motta, também do PMDB, para interceder na MP 561”, diz o relatório da PF. Na mensagem, Cunha digitou: “Vou pôr uma emenda para vc assinar que é do veto da 561”. Motta respondeu: “Ok, aguardo. Abs!!!”, revela O Globo.

Em outra ocasião, uma assessora de Cunha chamada Claudia Medeiros enviou ao chefe um e-mail com uma minuta de requerimento e o questiona sobre a possibilidade de envio ao deputado Hugo Motta para assinatura. A mensagem foi em agosto de 2012. “Posso mandar para o Hugo Motta assinar?????”, diz a mensagem da assessora.

O requerimento era para o Ministério de Minas e Energia enviar informações sobre a parceria da Petrobras Bio Combustível com a Açúcar Guarani SA e o Grupo Tereos. Para a PF, o requerimento foi apenas enviado para Hugo Motta assinar. Motta informou que não se lembrava especificamente do assunto, mas que era comum conversar com os colegas sobre atividade parlamentar.

EMPENHO PARA NOMEAR ALIADOS

O relatório da PF também conta como Eduardo Cunha influenciava a nomeação de aliados em cargos públicos. “Informações levantadas ao longo de análises desenvolvem a hipótese de Eduardo Cunha fazer uso da função parlamentar para viabilizar esquemas ilícitos que o favoreciam. Para manter esquemas utilizando a função política, o ex-deputado se empenhava em controlar cargos estratégicos através de indicação política. Para tal finalidade, exercia pressões no governo em conjunto com sua base de aliados”, dizem os investigadores

Em troca de mensagens com o senador Romero Jucá (PMDB-RR), Cunha reclama de nomeações recentes e diz que não saiu a da Caixa Econômica Federal. “Saiu no DO já a nomeação do BNDES e não nosso nome. Saiu Conab também e nada de CEF”, reclamou Cunha. “Vamos falar com Palocci. Saiu o q na Conab?”, indagou Jucá. “PTB. Não é nosso. Nosso não sai nada, é incrível”, disse Cunha. E Jucá: “Vamos agir”.

Em outra conversa, Cunha pergunta se Jucá esteve com Edison Lobão, que, na época, era ministro de Minas e Energia. Jucá confirma que estava com ele naquele momento, e Cunha lembrou: “Não esquece internacional e biodiesel”. Jucá respondeu: “Conversamos. Ficou de cobrar as indicações com Palocci”. A PF afirma que, “quando se referiu a ‘internacional e biodiesel’, acredita-se que Eduardo Cunha fazia menção à Diretoria Internacional da Petrobras e à empresa subsidiária Petrobras Combustível. Essa conclusão advém do contexto de que a Petrobras e suas subsidiárias são vinculadas ao Ministério de Minas e Energia, no qual Edison Lobão ocupava cargo máximo”.

Segundo o relatório da PF, a Diretoria Internacional da Petrobras era cargo indicado da cota do PMDB, e Jorge Zelada o exerceu de 2008 a 2012.

Câmara retoma debate sobre reforma política nesta terça-feira

Felipe Frazão e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

08 Agosto 2017 | 10h36

A Câmara dos Deputados se prepara para retomar nesta terça-feira, 8, o debate sobre a reforma política. A expectativa é de que os parlamentares enxuguem o relatório apresentado pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP) e articulem a aprovação do chamado “distritão”, sistema eleitoral onde os candidatos mais votados ao Legislativo são eleitos.

Vicente Cândido
Deputado federal Vicente Cândido (PT-SP) é o autor do relatório sobre a reforma política Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A proposta não foi incluída no relatório do petista, mas deputados discutem apresentar um voto em separado para aprovar a proposta já na comissão especial que discute o tema. O colegiado tem reunião marcada para as 14h.

O texto paralelo está sendo capitaneado pelo deputado Celso Pansera (PMDB-RJ) e conta com o apoio de outros integrantes da comissão, como a deputada Renata Abreu (Podemos-SP) e o líder do PP na Câmara, Arthur Lira.

O grupo favorável à proposta deve se reunir nesta terça-feira para definir a estratégia a ser adotada: se levam um relatório paralelo à comissão ou se aceitam o do petista, com a ressalva de discutir uma emenda no plenário alterando para o distritão o sistema eleitoral, o que já vinha sendo debatido nos bastidores.

Durante a fase elaboração de seu voto, o relator, que propõe manter as regras atuais no ano que vem e adotar o sistema distrital misto (com mais votados e lista pré-ordenada) a partir de 2020, rejeitou uma sugestão de Pansera para adotar o distritão, mas que não o estabelecia como regra transitória apenas para 2018, o que deve ser feito agora.

De maneira geral, os deputados criticam o parecer elaborado por Vicente Cândido por considerá-lo muito amplo e defendem que o a reforma política, que tem de ser aprovada na Câmara e no Senado até fim de setembro para valer para as eleições de 2018, tem de focar em duas questões: na mudança do sistema eleitoral e nas regras de financiamento de campanha.

O distritão, porém, não é consenso entre os deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), por exemplo, já manifestou preferir o sistema distrital misto.

Outros deputados também criticam o modelo e afirmam que ele tem como objetivo garantir a reeleição dos deputados atuais, consequentemente, manter o foro privilegiado em meio ao descrédito com a classe política causado por escândalos de corrupção como os revelados pela Lava Jato. “O distritão tem como objetivo congelar o Congresso como está, ou seja, na sua pior configuração”, disse o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ).

Um dos integrantes da comissão, o deputado Orlando Silva (PCdoB-RJ) é contra a ideia de derrotar o texto elaborado pelo relator. Segundo ele, o melhor caminho seria buscar consensos e não simplesmente derrubar um trabalho que vem sendo feito desde março por Vicente Cândido.

Jantar. Outro ponto que também deve gerar discussão é a criação de um fundo público para financiamento de campanha, chamado no texto de Vicente Cândido de Fundo Especial de Financiamento da Democracia (FDD).

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), tem tentado articular uma proposta alternativa para minimizar o impacto nos cofres públicos da criação do fundo eleitoral, estimado em cerca de R$ 3,5 bilhões, usando recursos já existentes do Fundo Partidário (como parte do dinheiro das fundações mantidas pelas legendas) e de emendas coletivas de bancada para cobrir os gastos futuros das campanhas.

Eunício vai oferecer um jantar nesta terça-feira para discutir o assunto com Maia e integrantes da cúpula da comissão da reforma política da Câmara. A ideia é aprovar regras que os senadores estejam de acordo, para que não haja modificação no texto, o que faria com que os deputados voltassem a debater a questão.

Para Vicente Cândido, a discussão “não é viável” e “já foi equacionada” com anuência do líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR). O petista deseja manter a regra que propôs. O presidente da comissão, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), no entanto, acredita que os deputados aceitariam mudar o financiamento das fundações partidárias e “não teriam dificuldade” em abrir mão das emendas coletivas de bancada: “Há muitos anos que não liberavam nenhuma dessas emendas, os deputados já estão acostumados a ficar sem”.

Temer admite que há estudos para mudança no Imposto de Renda

 O presidente Michel Temer admitiu nesta terça-feira que o governo está fazendo estudos sobre as alíquotas do Imposto de Renda, mas disse que não há uma definição sobre o tema.
O presidente Michel Temer durante o 27º Congresso e ExpoFenabrave. Participam do encontro o presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, governador Geraldo Alckmin e autoridades.

“São estudos que se fazem rotineiramente”, disse o presidente ao ser perguntado por jornalistas se o governo considera aumentar as alíquotas do IR.”A todo momento a Fazenda, o Planejamento, os setores da economia, eles fazem esses estudos e este é um dos estudos que está sendo feito, mas nada decidido”, acrescentou Temer, após participar de evento em São Paulo.

Notícia publicada no jornal O Estado de S.Paulo nesta terça-feira relata que a equipe econômica considera a criação de uma alíquota de IR de 30% ou 35% para quem ganha acima de R$ 20 mil, além da tributação de lucros e dividendos, entre outras medidas, com o objetivo de aumentar a receita em 2018.

O governo enfrenta sérias dificuldades para equilibrar as contas públicas e há uma forte expectativa de que terá de alterar a meta fiscal deste ano, para poder ter um déficit primário maior dos que os R$ 139 bilhões previstos.

Em discurso no mesmo evento, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o Brasil não aguenta mais pagar impostos, em um momento em que especula-se sobre nova alta de tributos para o governo conseguir cumprir a meta fiscal deste ano.

Maia reafirmou seu apoio à reforma da Previdência, dizendo que é o coração de todas as reformas. Reconhecendo as dificuldades de aprovar essa reforma, o presidente da Câmara disse que é preciso enfrentar o “discurso fácil” do populismo.

Após recuperação de estradas, estudantes deixam de percorrer 3km de bicicleta para terem acesso a escola

Acordar às 04 horas da manhã e percorrer 3km em uma bicicleta velha não é tarefa fácil para ninguém, mas era a rotina diária dos jovens irmãos João Pablo, 11 anos, que estuda na Escola Municipal Professor Oliveira e Ranieres Maria, 14 anos, que estuda na Escola Municipal Alyrio Wanderley e que moram na Comunidade Mucambo de Cima, zona rural de Patos.

 

Devido a má qualidade que se encontrava a estrada que dá acesso a casa dos jovens, o ônibus da Prefeitura Municipal não conseguia chegar até a casa dos estudantes, para isso era preciso que os jovens se deslocassem de bicicleta para outro local que o ônibus pudesse passar. Um belo exemplo e dedicação e força de vontade para quem quer estudar.

 

Vendo essa realidade, a Associação dos Moradores da Comunidade Mucambo de Cima encaminhou uma solicitação à Secretaria Municipal de Agricultura para que a estrada que dá acesso a casa dos jovens pudesse ser recuperada, facilitando assim a vida dos estudantes.

 

“Levamos o pedido até a Secretaria Municipal de Agricultura e graças a Deus fomos atendidos. A gente vê a felicidade dos alunos e isso nos deixa muito feliz também”, explicou o presidente da associação dos moradores do Mucambo de Cima, Manoel Messias.

 

“Melhorou muito. Agora o ônibus vem buscar a gente na porta de casa e não precisamos acordar tão cedo nem andar 3km de bicicleta”, disse o estudante Pablo.

WhatsApp Image 2017-08-08 at 09.41.05 (1)

O pleito foi atendido e a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Agricultura, realizou a recuperação de várias estradas da zona rural.

 

“Era uma estrada que há mais de 20 anos não tinha sido recuperada e na verdade teve que ser aberta novamente. Então nosso intuito foi facilitar a vida deles, para que possam chegar na escola de uma forma mais segura, tranquila e sem esforço, para que gastem suas energias apenas para aprender e terem uma vida melhor no futuro”, destacou o secretário municipal de agricultura, João Paulo.

 

Ainda de acordo com o secretário, mais de 60km de estradas de barro já foram recuperadas pela Prefeitura Municipal e o objetivo é recuperar ainda mais. “A recuperação de estradas não para, pretendemos recuperar aproximadamente 280km de estradas, inclusive, tornando algumas duplicadas para que possam trafegar dois veículos ao mesmo tempo e abrir cerca de 30km de novas estradas, com isso vamos facilitar o acesso a zona rural, ajudar nos translado de pessoas doentes como também gerar economia na manutenção dos veículos que trafegam nessas estradas”, concluiu.

Em ação conjunta, secretarias de Serviços Públicos e Infraestrutura realizam limpeza no Canal da Palmeira

Visando manter a limpeza de toda área do Canal da Palmeira, equipes das secretarias municipais de Serviços Públicos e Infraestrutura, estiveram durante esta segunda-feira, dia 07, realizando a remoção de entulhos, capinação e retirada de resíduos sólidos por toda sua extensão.

 

De acordo com o secretário de Serviços Públicos, Jardelson Medeiros, está sendo concluída a primeira etapa de limpeza do canal. “Estamos conluindo praticamente a metade do Canal da Palmeira. E estamos realmente intensificando as ações aqui neste canal, para que transtornos sejam evitados e que a população possa ficar mais tranquila. É um canal que está praticamente soterrado, com muito mato e lixo,” comentou.

 

Jardelson Medeiros pediu ainda a compreensão e a ajuda da população com relação ao descarte de resíduos sólidos no entorno do canal. “Pedimos à comunidade que nos ajude. Canal não é lugar de lixo, é canal de águas pluviais,” enfatizou.

 

Os serviços são uma continuidade da ação conjunta das secretarias que tem por objetivo manter limpas todas as localidades da cidade. “É uma parceria das secretarias que vem dando certo. Unindo as forças para que a gente consiga melhores condições para se trabalhar. E assim estamos fazendo durante a semana e finais de semana também. Onde a Infraestrutura puder ajudar, estamos juntos com ele,” disse o secretário de Infraestrutura de Patos, Antônio Carlos (Lito).

Centrais querem contribuição sindical maior do que imposto cobrado hoje

 Fernando Nakagawa

Agora, em vez de ter um dia de trabalho descontado, a contribuição será decidida em assembleia - Foto: Camila Domingues | Palácio Piratini | Fotos Públicas
Agora, em vez de ter um dia de trabalho descontado, a contribuição será decidida em assembleia
Camila Domingues | Palácio Piratini | Fotos Públicas

O imposto sindical vai deixar de existir em novembro, com a entrada em vigor da reforma trabalhista, mas a contribuição que os trabalhadores dão aos sindicatos pode aumentar com a mudança. Agora, em vez de ter um dia de trabalho descontado todo ano (o correspondente a 4,5% de um salário), a contribuição será decidida em assembleia, sem um teto estabelecido.

Duas das maiores centrais do País, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Força Sindical, defendem que de 6% a 13% de um salário mensal sejam destinados anualmente ao financiamento das entidades.

>> Governo vai restaurar o imposto sindical na legislação trabalhista

>> Governo avalia pacote de aumento de impostos

Criada para financiar a estrutura sindical, a nova “contribuição por negociação coletiva” é apoiada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), UGT e Força. Juntas, elas representam 51,8% dos trabalhadores sindicalizados. O valor defendido pela Força e UGT, porém, faria com que os empregados pagassem mais que um dia de trabalho aos sindicatos. O presidente da UGT, Ricardo Patah, defende 6% de um salário. “É um valor equilibrado que poderia ser dividido em 12 vezes.”

O secretário-geral da Força, João Carlos Gonçalves, cita valor que poderia oscilar de 8% a 13%. Maior entidade do País, a CUT não divulga valor de referência e não participa do debate por considerar o governo Temer ilegítimo, mas historicamente manteve posição favorável à criação da contribuição. A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) não emitiu posição oficial.

O presidente Michel Temer informou às centrais que o substituto do imposto sindical será regulamentado por Medida Provisória. O texto, porém, não deve trazer um porcentual a ser cobrado dos trabalhadores. Por isso, sindicalistas debatem qual valor é necessário para manter o funcionamento da estrutura sindical.

O modelo em debate prevê aprovação anual, pelos trabalhadores, do valor a ser pago na mesma ocasião em que empregados e patrões negociam reajuste anual de salário. A contribuição será paga por todos os empregados beneficiados pela negociação coletiva – inclusive os não sindicalizados. Isso, na prática, torna a contribuição negocial obrigatória aos que tiverem reajuste anual de salário conforme o acertado na negociação coletiva liderada pelo sindicato. O funcionamento dessas assembleias está em discussão. Por enquanto, prevalece proposta de que o quórum mínimo dessas reuniões poderá ser de apenas 10% dos trabalhadores representados.

Congresso

Essa nova contribuição tem sido negociada dentro do esforço do Palácio do Planalto em obter apoio dos parlamentares para evitar resistência do Congresso à MP que também ajustará pontos da reforma trabalhista – como o trabalho insalubre de grávidas e contratos intermitentes. Duas centrais – a Força e UGT – têm demonstrado mais simpatia ao modelo costurado com Temer e já se movimentam para tentar convencer deputados. O esforço é importante depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou a dizer que não aprovaria uma MP para mudar a reforma aprovada pela Casa.

Questionado sobre o aumento do valor a ser pago pelos trabalhadores, o secretário-geral da Força disse que “não é possível comparar” com o modelo atual porque a existência de negociação permitirá, em tese, que nem haja contribuição. Patah lembra ainda que, além do imposto sindical, trabalhadores sindicalizados também pagam contribuição assistencial e há casos de pagamento confederativo. “Hoje, em algumas situações o total pode chegar a 20% de um salário”, diz. “As três serão substituídas por uma. Com certeza, o valor vai cair.”

As contribuições assistencial e confederativa, no entanto, são pagas exclusivamente por sindicalizados – parcela minoritária do mercado. Segundo o IBGE, apenas 19,5% dos trabalhadores são ligados oficialmente a um sindicato. Portanto, a maioria dos empregados – 80,5% da força de trabalho – paga apenas o imposto sindical.

Em 2016, o imposto sindical arrecadou R$ 3,53 bilhões. Confirmado o novo porcentual citado por UGT e Força, o valor poderia saltar para R$ 10,2 bilhões com desconto de 13%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

VII Conferência em Saúde e a I Conferência em Vigilância e Saúde tiveram a abertura nesta segunda-feira (07)

A VII Conferência Municipal de Saúde que tem como tema, a ‘Participação Social na Educação Permanente do Sistema Único de Saúde-SUS: direitos e deveres’ e a I Conferência Municipal de Vigilância em Saúde a qual trouxe pra discussão a ‘Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade’, tiveram sua abertura na noite desta segunda-feira, (07/08), na Câmara de Vereadores de Patos. O evento é uma produção da Secretaria de Saúde em parceria com o Conselho Municipal de Saúde.

 

A abertura foi presidida pela secretária de Saúde, Andressa Lopes, que estava acompanhada do secretário adjunto, Wendel Palmeira, e contou com a presença do vice-prefeito, Bonifácio Rocha, representando o prefeito Dinaldinho Wanderley; o promotor de justiça, Uiraçu Melo Medeiros; a professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e palestrante, Gisetti Corina; o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Claudemir Bento, que fez a saudação inicial aos presentes; secretários municipais, vereadores, representantes de classes ligadas a saúde em Patos e usuários do Sistema Único de Saúde – SUS.

 

A Secretária de Saúde, Andressa Lopes, fez uma avaliação positiva do evento. “Avalio as duas conferências como atitudes da gestão bastante positivas, pois é nas conferências que é debatido assuntos referentes ao atendimento no SUS e, a partir daí, pensarmos em meios de melhorar cada vez mais esses serviços prestados à população”.

 

O vice-prefeito, Bonifácio Rocha, comentou sobre a importância do evento para o plano de gestão em saúde. “A conferência vem em bom tempo e é a partir dela que criaremos o plano da atenção na saúde dos próximos quatro anos. Daí vemos o tamanho da importância de eventos como esses”, disse.

 

A palestra da noite foi proferida pela professora da área de saúde coletiva da UFCG, Gisetti Corina Gomes Brandão, que chamou a atenção dos conferencistas para a importância dos números com a atenção básica. Segundo ela, a procura pelo atendimento na UPA e no PA Maria Marques, mostra uma fragilidade na atenção básica, que muitas vezes é provocada pelo próprio paciente que só procura atendimento médico quando o caso se agrava. Gisetti considerou muito importante a conferência já no primeiro ano de Governo Dinaldinho Wanderley, pois mostra o interesse em resolver os problemas da área da saúde dentro do período orientado pelo Ministério da Saúde.

 

O evento acontece entre os dias 7 e 9 de agosto e tem como objetivo criar um momento de debate sobre temáticas pertinentes em relação ao atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com representantes de classes ligadas à Saúde em Patos e usuários para que, a partir dessa discussão, possa sair o plano de gestão em saúde dos próximos anos de gestão; e também escolher os delegados que irão participar da Conferência Estadual de Vigilância em Saúde que acontecerá este ano.

 

VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

 

08 de agosto – Local: Centro de Treinamento Diocesano

07:30 – Acolhimento e credenciamento;

08:00 – Leitura e aprovação do Regimento;

09:00 – Tema Central: “Participação Social na Educação Permanente do Sistema Único de Saúde-SUS: Direitos e Deveres”;

10:00 – Coffebreack;

10:20 – Encaminhamentos dos trabalhos de Eixos;

12:00 – Almoço;

13:30 – Apresentação dos trabalhos de Eixos;

15:00 – Coffee Break;

15:20 – Aprovação das propostas;

17:00 – Encerramento.

 

EIXOS

 

1º Eixo: Assistência Farmacêutica;

2º Eixo: Atenção Integral a Saúde;

3º Eixo: Instrumento de Gestão;

4º Eixo: Controle Social.

 

I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

 

09 de agosto – Local: Centro de Treinamento Diocesano

07:30 – Acolhimento e credenciamento;

08:00 – Leitura e aprovação do Regimento;

09:00 – Tema Central: “Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade”;

10:00 – Coffee Break;

10:20 – Encaminhamento dos trabalhos de Eixos;

12:00 – Almoço;

13:30 – Apresentação dos trabalhos de Eixos;

15:00 – Coffee break;

15:20 – Aprovação das Propostas e escolhas dos representantes delegados que irão participar da Conferência Estadual de Vigilância em Saúde;

17:00 – Encerramento.

 

EIXOS

 

1º Eixo: Lugar da Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade;

2º Eixo: Responsabilidade do Estado e dos Governos com Vigilância em Saúde;

3º Eixo: Saberes, Práticas, Processo de Trabalho e Tecnologia na Vigilância em Saúde;

4º Eixo: Gestão de Trabalho.

Prefeitura de Patos intensifica reforma do estádio José Cavalcanti

A Prefeitura Municipal de Patos, por meio da Secretaria de Esportes e Turismo, continua intensificando os trabalhos de reestruturação do Estádio municipal José Cavalcanti, visando os jogos da Segunda Divisão do Campeonato Paraibano de Futebol.

 

Como principal praça esportiva de Patos, para a prática do futebol, o José Cavalcanti vem recebendo desde o mês de julho, reformas na sua estrutura, com melhorias nas condições de segurança de acesso aos torcedores, iluminação e nas três arquibancadas do estádio, que por uma escolha bem padronizada, levarão as cores vermelho, azul, branco e verde.

 

De acordo com o secretário de esportes Nalfrânio Sátiro, as novas arquibancadas representam uma homenagem as cores da bandeira de Patos, do Nacional e do Esporte, os nossos dois clubes profissionais. “Na arquibancada sombra, haverá a padronização das cores verde e branco em homenagem ao Nacional, enquanto na arquibancada por trás do gol iremos colocar as cores azul e branco de Patos e o vermelho e branco do Esporte, na arquibancada sol”, informou.  

 

 

Além de apoiar de forma institucional a participação do Nacional na temporada, clube que representa Patos no Campeonato Paraibano da segunda divisão em 2017, Nalfrânio informou que a gestão do prefeito Dinaldinho Wanderley, não tem medido esforços no sentido de melhorar a qualidade do gramado, respeitado como um dos melhores do Brasil, bem como investimentos em banheiros, iluminação e nos túneis das equipes.

 

 De acordo com o secretário, o estádio praticamente já atende aos requisitos de segurança e acomodação, exigidos nas normas técnicas da Federação Paraibana de Futebol, faltando apenas a emissão dos laudos do Conselho Regional de Engenharia e arquitetura-CREA, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. “Procuramos seguir todas as recomendações e normas exigidas pelo Ministério Público, para que não tivéssemos nenhum impedimento no tocante à reabertura do estádio em jogos oficiais”, explicou.

 

No domingo, (6/8), o Nacional realizou o seu último amistoso em preparação para a segunda divisão e venceu a equipe da Perilima de Campina Grande pelo placar de 4×0.