Category Archives: Blog

Morreu o Baixinho da Bronca Livre, Orlando Xavier

Faleceu, na noite desta quarta-feira, no Hospital Regional de Patos, o ex-vereador e radialista Orlando de Souza Xavier. Nnascido em Patos em 27 de setembro de 1944, Orlando tinha 73 anos de idade. Era filho de Manoel Xavier e de Zulmira Xavier. Irmão de Irene, Iolanda, Iracema, Dão Renê, Mário, Pedroca e Zequinha. Casado com Dona Edileuza Xavier de Souza, tiveram os filhos Robério, Rogério, Rossano, Rocienio, Rômulo e Romualdo Robilene, Roxandra, Roseane e Rocienia, quatorze netos e 5 bisnetos. Orlando foi o vereador mais votado da história política de Patos. Em 1982, ele teve 2343 votos, votação até hoje recorde na política patoense. Apesar de ter dobrado o número de eleitores desde então, nunca foi batida essa votação de Orlando Xavier. Orlando militou nas várias emissoras de Patos, mas começou na década de 60 na Rádio Espinharas de Patos onde foi operador e foi locutor. Foi companheiro nosso, como operador na década de 60, depois passou a ser locutor de um dos programas de maior audiência do rádio patoense da época, em em toda a história, que foi o programa Bronca Livre. Com base no Bronca Livre e nas campanhas de ajuda que ele desenvolveu no rádio, Orlando foi eleito com essa votação em 1982: 2343 votos. Em 2004 ele foi eleito uma segunda vez. Tendo desistido da atividade depois de uma tentativa de reeleição em 2012. Queremos transmitir aos familiares de Orlando as nossas condolências. Orlando foi amigo nosso desde a infância na na Rua dos 18 do Forte, onde fomos vizinhos na década de 50. Era funcionário aposentado da CAGEPA. O corpo de Orlando está sendo velado no Memorial Parque da Paz onde será sepultado nesta quinta-feira às 5 horas da tarde

Morre seu Joãozinho de Cruz, decano da Filarmônica 26 de julho


 
  • Seu Joaozinho.jpg
(Folha Patoense)

Morreu por volta das três da madrugada desta segunda-feira (12/02), de insuficiência renal, em João Pessoa, o patoense João Nepomuceno de Lucena, conhecido por Joãozinho de Cruz, de 104 anos e oito meses de vida.

Patoense, nascido no Sítio Trapiá, Joãozinho de Cruz trabalhou por muitos anos como motorista e foi músico também da Filarmônica 26 de Julho. Era o decano da instituição. Morava há alguns anos em João Pessoa, mas nunca perdeu o contato com a cidade de Patos, para onde convergia sempre, principalmente em setembro, mês da festa da padroeira de Nossa Senhora da Guia, de quem era devoto.

Foi casado com a senhora Alaíde Vieira de Lucena, uma das primeiras professoras de Patos. Tiveram 17 filhos. Quatro deles morreram ainda bebês. Ficaram 13: Adail (Irmã Áquila, freira das Filhas do Amor Divino, mora no Cristo Rei); Adilson (in memoriam); Adilis (in memoriam);  Adalvanira; Almiro; Abelardo (in memoriam); Ana Zélia; Elizabeth; Eduardo; Alaíde; Idalina; Maria Assunção e Aretuza. Além dos treze filhos legítimos, o casal adotou um bebê: Virginia Maria Vieira de Lucena.

Foi velado na Morada da Paz, em Jaguaribe e sepultado na tarde desta segunda no Cemitério Senhor da Boa Sentença, em João Pessoa.

 

Morre em João Pessoa, patoense Rondynelle Pereira Leite

(Folha Patoense)

 

Faleceu por volta das cinco horas desta sexta-feira, 09/02, no Hospital Universitário, em João Pessoa, o patoense Rondynelle Pereira Leite, de 38 anos.

Rondynelle morreu em decorrência de problemas no fígado. Estava internado há alguns dias.

Trabalhava no escritório da Indústria Coroa em Patos e era casado com a enfermeira Geanny Gadelha, uma união que gerou dois filhos: João Victor e Rodrigo.

O velório acontece no Parque Jardim da Paz, nas proximidades do Parque Cruz em Patos; e o sepultamento será neste sábado, 10/02, às dez horas, no Cemitério São Miguel.

Ex-prefeito de Catingueira e auxiliar condenados por desvio de verbas

 

(Suetoni Souto Maior, no Jornal da Paraíba)

O ex-prefeito de Catingueira, José Edivan Félix, foi condenado a oito anos e quatro meses de prisão pela Justiça Federal nesta semana. Ele é acusado de ter desviado 37.165,10 do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, em 2006. De acordo com a decisão, o gestor simulou uma licitação, na modalidade carta-convite, para a compra de gêneros alimentícios, que seriam destinados à merenda dos participantes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e do Agente-Jovem. O ex-secretário do município, José Hamilton Remígio de Assis Marques, também foi condenado, com pena de cinco anos de reclusão.

 

A fraude foi descoberta, segundo investigação do Ministério Público, por causa dos erros ortográficos registrados nas três cartas-convite apresentadas. Na denúncia formulada pelo órgão, são descritos claros indícios de que a licitação foi forjada. As três empresas que apresentaram as propostas grafaram com erros gramaticais gritantes exatamente os mesmos produtos. Os exemplos foram reproduzidos na sentença e são extremamente graves. Na descrição dos produtos, eles escreveram “amidio de milho”, “achocolatato”, “Leite em pó Clória”, “Macarão Aliança”, “Pãp p/ sanduíche”. Os valores indicados pelas supostas licitantes também eram muito parecidos.

 

A sentença, originada de uma ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF), foi publicada nesta quarta-feira (23), no Diário Oficial Eletrônico da 5ª Região. De acordo com a decisão, José Edivan Félix e José Hamilton Remígio de Assis Marques simularam a licitação. A empresa Luiz Guedes Sobrinho (Supermercado Guedes) foi usada como vencedora da falsa aquisição de produtos, que beneficiou diretamente os condenados. O ex-prefeito de Catingueira ainda nomeou servidores não capacitados tecnicamente para integrar a comissão de licitação. Os profissionais, segundo a Justiça, nem detinham conhecimentos básicos do funcionamento do processo, revelando o objetivo de praticar um esquema de desvio de dinheiro público.

Prefeita de São José do Bonfim é condenada por improbidade administrativa

(Patos Metrópole)

A Justiça julgou procedente ação civil pública do Ministério Público da Paraíba e condenou a prefeita de São José do Bonfim, Rosalba Gomes da Nóbrega, por ato de improbidade administrativa aplicando as sanções de suspensão dos direitos políticos por quatro anos, perda da função pública que porventura exerça ao tempo do trânsito em julgado e multa civil de R$ 100 mil a ser revertida à prefeitura. Também foi declarado nulo o contrato entre a prefeitura e o profissional Aderaldo Serafim de Sousa, feito por inexigibilidade de licitação, e aplicada multa civil ao contador no valor de R$ 50 mil.

A ação civil pública foi ajuizada pela Promotoria do Patrimônio Público de Patos, em 2015, e a sentença foi proferida pela 4ª Vara da Comarca de Patos em dezembro de 2017 e publicada no último dia 31 de janeiro. após inquérito civil público que averiguou a inexigibilidade licitatória realizada pela Prefeitura de São José do Bonfim, referente à contratação de serviços de contabilidade, durante o exercício financeiro de 2014, resultando na contratação direta de Aderaldo Serafim de Sousa, no valor de R$ 78 mil.

A justificativa apresentada para a inexigibilidade de licitação teve por base o disposto no artigo 13, inciso III, artigo 25, inciso II, da Lei 8.666/93, que autoriza a contratação de serviços técnicos com profissional de notária especialização, entre os quais os de assessoria ou consultorias técnicas e auditorias financeira.

Na ação, porém, o Ministério Público argumentou que a Administração Pública, ao apresentar os fundamentos acerca da inexigibilidade licitatória, não realizou a coleta de elementos que indicassem, consistentemente, que a empresa contratada, possuía destacada experiência e que seu conhecimento técnico, extraído do quanto por si já produzido, revelava-se o mais apropriado para o atendimento da contratação, sendo, pois, verificada a ausência de singularidade do objeto contratado e a notória especialização da empresa prestadora.

Verificada a ilegalidade do contrato, a promotoria recomendou a rescisão que foi atendida pela prefeitura. Portanto, o contrato durou nove meses – entre janeiro e setembro de 2014. Após a rescisão foi realizado regular procedimento licitatário que originou o contrato de n° 13.901/2014, sendo contratado, novamente, o profissional Aderaldo Serafim de Sousa.

Na sentença, é destacado que a conduta da prefeita e do profissional contratado se mostra impregnada de dolosidade, de profanação aos deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade as instituições.

Trabalho do MP no Estado

O combate à contratação ilegal de serviços advocatícios e contábeis por inexigibilidade de licitação tem sido realizado com mais ênfase pelo Ministério Público da Paraíba nos últimos anos. Em 2017, o colegiado do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Patrimônio Público, da Fazenda Pública e do Terceiro Setor – que reúne os promotores do Patrimônio Público do Estado – aprovou parecer técnico jurídico sobre o tema e deliberou, por unanimidade, pela expedição de recomendação quanto à contratação de advogados e contadores por inexigibilidade de licitação fora das hipóteses legais.

No parecer, é ressaltado o entendimento majoritário de que a contratação de escritórios de advocacia e contabilidade por inexigibilidade de licitação somente é possível para questões pontuais e casos de natureza singular que requeiram notória especialização, não se enquadrando na especie os serviços de advocacia ou contabilidade comuns, de demanda habitual e questões triviais dos órgãos públicos.

“A sentença da ação civil da Promotoria de Patos mostra que a tese defendida pelo Ministério Público vem sendo acolhia pelo judiciário. É uma importante vitória”, declara o coordenador do Caop do Patrimônio, promotor Leonardo Quintans.

 

Ascom

Comentário – Nunca morri de amores pela administração de São José do Bonfim. Mas não concordo com as razões invocadas para sua condenação no processo acima. Nenhum empresa vai entregar a sua contabilidade a um contador em que não confie. Como um prefeito vai entregar a contabilidade de sua prefeitura a um contador que ele nem sabe quem é? Alem do mais, quantas licitações são manipuladas para dar o resultado que o prefeito quer? (LGLM)

Faleceu na tarde deste domingo em Campina Grande, Francisco de Assis Cunha Lima, Didi

Faleceu, no inicio da tarde deste domingo, em Campina Grande, onde era radicado há muitos anos, o senhor Francisco de Assis Cunha Lima, de 60 anos de idade, vitima de infarto. Nascido em 13/05/1958 e formado em Administração de Empresas e Matemática,  Didi, como era mais conhecido, era filho de meus saudosos amigos Severino Benedito de Lima e Nenzinha Cunha Lima. Era irmão de José Williams e Carmem Lúcia Cunha Lima (já falecidos), de Zélia Maria, Iraquitânia, Paulo e Ana Carmem. Casado com a pedagoga Eunice Farias Lima, tiveram quatro filhos: Feuber (já falecido), Cleber, Diego e Mayane. O corpo será sepultado nesta segunda-feira em Campina Grande. Nossas condolências a todos os familiares.

Novo placar do STF sobre prisão após segunda instância será revelado na terça

(Do Painel da Folha, neste domingo)

Hora da verdade O mistério que mobiliza debates sobre o futuro da Lava Jato e do ex-presidente Lula poderá ser desvendado na terça (6). Novo presidente da primeira turma do STF, Alexandre de Moraes colocou em pauta dois casos que abordam diretamente a discussão sobre a prisão após condenação em segunda instância. O ministro ainda não se pronunciou sobre o tema na corte e seu voto seria decisivo para mudar o entendimento atual –em 2016, a detenção foi autorizada por um placar de seis a cinco.

Contra o tempo O colegiado discutirá o caso de um prefeito condenado a cinco anos de detenção, em 2009, pelo TRF-4. A pena caducará em fevereiro deste ano e a PGR pede para executá-la, impedindo a prescrição.

Em xeque A outra ação trata da suspensão de uma liminar de Marco Aurélio Mello que impediu a prisão de um condenado pelo STJ a cinco anos e meio. A decisão do ministro agora vai a votação.

Minerva 1 Ao abordar o tema há menos de dois anos, o STF entendeu que o encarceramento era possível após condenação em segunda instância. A composição da corte foi alterada com a morte de Teori Zavascki –substituído por Moraes– e ao menos dois ministros sinalizam que mudaram de entendimento.

Minerva 2 A aposta nos bastidores é de que hoje haja um empate. A posição de Moraes é vista como uma incógnita. Revelada na terça (6), deixará claro o novo placar que o tema tem no STF.

 

Salto no escuro? Pessoas próximas a Henrique Meirelles (Fazenda)perceberam um padrão nas entrevistas de Michel Temer. O presidente sempre afirma que discutirá o nome de seu candidato ao Planalto a partir de maio. Para concorrer, o ministro teria que deixar o cargo em abril.

Seguro de vida Quem conhece Meirelles diz que ele jamais largaria o posto sem garantias. Ele vai manter a tática atual até o limite: se apresentará como o nome mais talhado para defender o legado de Temer e se aproximará dos evangélicos. Só sai se tiver apoio do governo ou legenda para disputar.

100 metros rasos Aliados de Ciro Gomes (PDT-CE) comemoraram o Datafolha. Para quem não se candidata à Presidência desde 2002, dizem, competir cabeça a cabeça com o governador de SP, Geraldo Alckmin, está ótimo.

Sangue frio A expectativa de dirigentes do PDT é a de que, a medida que o eleitor perceba que o voto em Lula pode ser em vão, Ciro melhore sua performance na região Nordeste.

Herdeiros Segundo a pesquisa, entre eleitores que declaram preferência pelo PT, Ciro sobe de 3% para 15% quando o petista está fora da disputa. No mesmo grupo, Marina passa de 4% para 13% quando o ex-presidente é excluído do cenário eleitoral.

A Poesia está de luto. Morre o Poeta Louro Branco.

Francisco Maia de Queiroz, o popular Louro Branco, poeta, repentista e compositor, nasceu dia 02 de setembro de 1943 na Vila Feiticeiro no município de Jaguaribe/CE.

Louro Branco era aquele poeta que ao se apresentar encanta o público com seu bom humor. O seu início na bela arte de improvisar versos se deu com a idade de 12 anos. Desde então, já cantou com todos os maiores repentistas do nordeste, e participou em mais de 400 festivais, tem aproximadamente 700 composições.

Estudou só o ensino fundamental, entretanto as profissões exercidas de pescador, agricultor e vendedor ambulante deram experiência que, aliada a sua sabedoria na faculdade da vida, transformaram em um dos maiores ícones do maravilhoso mundo do repente.

A conversão de Louro Branco ao protestantismo rendeu situações constrangedoras que foram contornadas pela sua inteligência privilegiada, rapidez de raciocínio e poder de síntese.

Valdir Teles, recentemente, cantava com ele, e começou a criticar por sua adesão a religião. Ele suportou bem as críticas, então, em determinado momento soltou o verbo e o verso:

“Valdir vive criticando
Porque agora eu sou crente
E tá dizendo as mulheres
Que eu fiquei impotente
Quem diabos disse a Valdir
Que Bíblia capava gente?”

O mundo poético perde a ‘matéria’ de um dos mais brilhantes improvisadores da cantoria…

Sua poesia será eterna!

Descanse em paz, poeta LOURO BRANCO

Fonte: VARZEA ALEGRE – COISA NOSSA : A Poesia está de luto. Morte o Poeta Louro Branco.

O poeta Antônio Lisboa assim registrou o falecimento do companheiro:

Adeus a Louro.

Acabamos de perder Louro Branco – Francisco Maia de Queiroz. Nasceu na Vila Feiticeiro, Vale do Jaguaribe-CE, morou em várias cidades cearenses, Mossoró e Caicó -RN, atualmente residindo em Santa Cruz do Capiberibe-PE.
Nos mais de cinquenta anos de profissão como repentista, Louro dedicou-se e honrou a arte do repente como só ele poderia ter feito. Transformou-se num dos maiores e admirados cantadores de todos os tempos, do Nordeste e do Brasil, emplacando um estilo próprio e uma criatividade pouco vista num ser humano.
Sua atividade na cantoria foi tão intensa e bonita, chegando a ser confundida com sua pessoa, suas qualidades e generosidade, de acordo com sua origem, exemplo de simplicidade e cidadania.
Sua produção poética se identifica com o público que tanto o aplaudida nas cantorias, nos festivais e nos mais diferentes ambientes onde se apresentou com aquele viola.
Era um desses guerreiros. Nunca injetou jornada de trabalho, fosse longa, pesada ou dificultosa. Sempre estava pronto para o oficio, fosse em um grande evento, numa feira, ou até num ato de lazer com amigos e colegas. Jamais fez seleção ou escolha de cantadores para suas parcerias. Enfrentou todos, das maiores referências aos menos reconhecidos e os encarou sem caráter competitivo, tratando todos com dignidade e respeito.
Deixa um legado enorme. São muitos poemas, canções, livros, LPs, CDs, DVDs e muitos outros trabalhos. Fica em todos os cantos e recantos, de boca em boca uma quantidade incalculável de estrofes, de sua autoria, decoradas nos seus inúmeros desafios de improviso, se utilizando dos mais diversos gêneros da cantoria (sextilhas, motes e modalidades), histórias e respostas ditas por ele onde andou, sem contar o que ficou perdido, que não deu pra ninguém registrar. É difícil numa roda de conversa entre poetas ou pessoas ligadas ao universo da cantoria, não se incluir Louro Branco e raramente não ter uma nova coisa deixada por ele em forma de verso ou de prosa.
É incrível! Louro Branco está na memória do povo, na História da cultura popular e vai continuar nas nossas lembranças, nossas vidas, vivo conosco.

Antonio Lisboa.

Recife, 18 de Janeiro de 2018.

NOTA DE FALECIMENTO – Antônio Diniz César, conhecido por Antônio Miscena


 

(Patos Online)

“ A Vida dos Justos está nas Mãos de Deus”

Os familiares de Antônio Diniz César, mais conhecido por Antônio Miscena, cumprem o doloroso dever de comunicar aos parentes e amigos o seu falecimento, ocorrido ontem, no Hospital João XXIII em Campina Grande.

O seu corpo será velado durante todo o dia de hoje na Rua Clóvis Sátiro, 415, Loteamento Geraldo de Carvalho, próximo à entrada da referida Fazenda.

Comunicam ainda que o seu sepultamento ocorrerá no período da manhã desta terça-feira, dia 16 de janeiro, no Cemitério Santo Antônio, em Patos.

A família enlutada agradece a presença e a Solidariedade Cristã de todos.

Praças e Cemitérios Públicos de Patos estão recebendo diariamente ações de limpeza e manutenção

 Por COORDECOM   Quarta-Feira – 3 de Janeiro de 2018

Ações de zeladoria estão sendo implementadas pela Prefeitura de Patos em todas as Praças e Cemitérios públicos do município, através de um cronograma de limpeza e manutenção realizado pela secretaria de Serviços Públicos.

 

Todas as praças do município estão recebendo trabalhos de limpeza, que envolvem varrição, preservação das árvores, pintura de meio fio, recolhimento de entulhos e manutenção da iluminação, de campos gramados e de areia e, ainda, dos equipamentos das academias ao ar livre e das quadras localizadas nestes espaços. Os cemitérios públicos também estão recebendo, diariamente, estes mesmos serviços de limpeza e conservação das suas estruturas.

 

De acordo com o secretário de Serviços Públicos, Raniere Ramalho, o objetivo da gestão municipal é manter a cidade limpa e bonita, para que a população possa aproveitar com segurança estes espaços de lazer.

 

“Nós elaboramos um calendário para que haja a limpeza diária desses espaços tão importantes e é importante ressaltar que a água utilizada para regar e lavar as praças e os cemitérios do nosso município é utilizada de poços artesianos,” disse o secretário. (RA)

 

http://patos.pb.gov.br/noticias/pracas-e-cemiterios-a7917.html