Category Archives: Notícias

Revitalização do Rio Espinharas teve início nesta segunda-feira (04/12)

 

(Asssessoria Vereador Capitão Edson Hugo) 

 

Iniciou nesta segunda pela manhã dia 04/12/17, demanda de Audiência Pública mais uma das etapas da revitalização dos rios e matas ciliares no perímetro urbano da cidade de Patos, onde foi realizado hoje pela manhã, um estudo fitossociológico e inventário florestal.

 

As equipes estarão em campo ao longo destes dias, realizando o estudo fitossociológico e inventário florestal, com o objetivo de estimar o volume da área e catalogar as espécies de vegetação que existe naquele lugar, para dar entrada junto a SUDEMA para autorização do plano de corte das árvores exóticas que estão invadindo o leito do rio e consequentemente a recuperação da área degradada.

 

Assim, seguindo no projeto da instalação de parque lineares ao longo do rio transformando a área insalubre em espaços de lazeres para as famílias patoenses.

 

Estamos acompanhando in loco todos os trabalhos, onde em parceria a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e a Superintendência e Administração de Meio Ambiente (SUDEMA), estão empenhadas para a concretização do projeto.

 

Comentário do programa – Como a gente está pedindo muita chuva a Deus, para evitar que passemos sede, é bom nos prepararmos para possibilidade de enchentes. E se o Rio Espinharas pegar uma enchente agora, pode alagar muitas partes baixas da cidade, principalmente, em decorrência do assoreamento do rio. (LGLM)

População precisa informar dados para solicitação dos serviços de iluminação pública por telefone

 

Por COORDECOM   Quinta-Feira – 7 de Dezembro de 2017

 

Os serviços de manutenção na iluminação pública tiveram um avanço considerável nos últimos dias e a população pode entrar em contato com o setor competente e fazer sua solicitação através do telefone 0800-721-0112. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira das 8h da manhã às 18h e no sábado das 8h às 17h.

 

O representante da empresa Ghia Engenharia explicou os procedimentos para solicitação de atendimento através desse número 0800 e os dados que são necessários informar para que a população seja atendida de forma mais rápida e eficiente.

 

“Este sistema que utilizamos é moderno e otimizará a prestação de serviços, mas é necessário que a população forneça dados importantes como endereço, tipo de problema, tipo de braço de poste e ponto de referência do local, para que as equipes de manutenção possam dar uma resposta mais eficiente e rápida a população. Quando o morador informa, por exemplo, o tipo de braço do poste, se é comprido ou se é curto, nós já direcionamos para o local um carro e equipamento adequado para este serviço, o que facilita o nosso trabalho e agiliza a solução do problema para a população”, explicou.

 

O coordenador de iluminação pública, Fábio Araújo, explicou que no momento estão sendo realizados serviços de manutenção religando os pontos apagados e desligando os que estão acesos durante o dia.

 

“Estamos recebendo pelo número 0800 solicitações de implantação de braços, mas no momento nós estamos atendendo a demandas muito grande com relação aos pontos de escuridão e atendendo a todas estas solicitações. Mas, em breve, estaremos realizando os trabalhos de melhorias com a implantação desses braços e novas lâmpadas”, explicou.

Prefeitura de Patos divulga mais um edital de convocação do Processo Seletivo Simplificado

 

(Patos Online,  com informações da Coordecom)

 

A prefeitura de Patos, através da secretaria de Administração, divulgou mais um edital de convocação relativo ao Processo Seletivo Simplificado 001/2017. Os convocados tem prazo para se apresentar e entregar entre os dias 05 de dezembro de 2017 a 15 de dezembro de 2017 os documentos necessários para a assinatura dos contratos.

 

Os candidatos convocados devem se apresentar pessoalmente ou por procurador munido de Procuração Pública com poderes especiais para o ato no Protocolo Especial instalado no auditório da sede da Secretaria de Educação, localizada na Rua Pedro Caetano, 41, Centro, Patos/PB – próximo ao Banco do Nordeste, no horário das 08h00min às 12h00min, portando todos os exames exigidos.

 

Consulte a documentação necessária no site da prefeitura (patos.pb.gov.br), no Diário Oficial do Municipio ou no quadro de avisos que fica na Prefeitura ao lado do caixa eletrônico. As notícias publicadas na imprensa também trazem uma relação dos documentos.

 

Os documentos originais/autenticados exigidos para apresentação são:

Cópia da Certidão de Nascimento ou Casamento;

Cópia do Título de Eleitor, com o comprovante de votação na última Eleição (1º e, se houver, 2º turno) ou Certidão de quitação fornecida pelo Cartório Eleitoral Competente;

Cópia do Certificado de Reservista ou de Dispensa de Incorporação, para os candidatos do sexo masculino;

Cópia da Cédula de Identidade ou outro Documento de Identidade Civil;

Cópia da última Declaração de Imposto de Renda apresentada a Receita Federal do Brasil, com as devidas atualizações e/ou complementações ou, no caso do candidato ser dispensado da apresentação da citada declaração, deve, apresentar Declaração firmada por ele próprio, nos termos da Lei n.º 8.429/1992, caso tenha feito tal declaração;

Cópia do comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF;

Cópia do documento de inscrição PIS, PASEP ou NIT, caso possua;

02 (duas) fotos 3×4 recente, colorida (fundo branco);

Declaração, com firma reconhecida, de que não acumula cargo, função ou emprego, exceto os legalmente permitidos, garantido o direito a opção no prazo de 15 (quinze) dias, a partir da publicação deste Edital;

Certidão Negativa de Antecedentes Criminais Estadual e Federal;

Comprovação da escolaridade mínima exigida para o cargo;

Laudo do Exame Clínico de até 30 (trinta) dias, lavrado por Médico do Trabalho atestando capacidade laborativa do candidato, bem como, sendo o caso, especificando deficiência aos aprovados em vagas destinadas aos portadores de necessidades especiais, a fim de suprir a exigência prevista no Item XI, Ponto 10 e imprimir maior agilidade na contratação;

Comprovante de Registro no devido Conselho de Classe, para as vagas destinadas às profissões regulamentadas, de acordo com a legislação específica;

Cópia dos documentos que comprovem os demais pré-requisitos constantes no Item II – Dos Cargos, respeitando as particularidades de cada função.

Comprovante de Residência.

O edital de convocação encontra-se disponível no site da Prefeitura www.patos.pb.gov.br

CONFIRAM AQUI O EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

editaldeconvocação.pdf

 

Comentário do programa – Esta segunda chamada visa preencher vagas não preenchidas pela primeira convocação, seja por pessoas que desistiram de tomar posse, que não apresentaram  a documentação, que foram consideradas inabilitadas ou que tomaram posse e desistiram de continuar. (LGLM)

STTRANS firma convênio com o IFPB e dará oportunidade de estágios para alunos daquela instituição

 

Por CORDECOM   Sexta-Feira – 8 de Dezembro de 2017

 

A Prefeitura de Patos, através da Superintendência de Trânsito e Transportes Público – STTRANS, realizou uma reunião na tarde da última quinta-feira (07/12), com a professora Susana Lucena, do IFPB campus Patos.

 

Na reunião foi discutido um convênio entre a STTRANS e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – Campus Patos, com o objetivo de selecionar alguns alunos para estagiar no órgão.

 

A professora Susana Lucena está desenvolvendo com seus alunos um projeto de acessibilidade e, em uma conversa com o Superintendente Aldo Xavier, viu a possibilidade de estender o projeto para a população patoense.

 

“Eu percebi que o nosso campus apesar de muitos pontos acessíveis, ainda deixávamos muito a desejar, já que temos muitos alunos que têm deficiência. Começamos a fazer melhorias no campus para que os alunos portadores de deficiência tivessem mais autonomia. Através desse projeto de extensão buscamos parcerias para ampliarmos nosso projeto, foi aí que em uma conversa com o superintendente Aldo, tivemos a ideia do convênio”, falou a professor Susana Lucena.

 

De acordo com a professora essa parceria é de grande importância, já que se trata de um curso técnico e um dos critérios para a formação dos alunos é o estágio.

 

Segundo o Superintendente Aldo Xavier, é uma parceria fundamental para que ele possa dar continuidade aos seus projetos à frente do órgão.

 

“Estou muito entusiasmado com a possibilidade desse convênio. Estamos discutindo acessibilidade no município, de todos e para todos. Nesse primeiro momento vamos intensificar as ações no centro da cidade. A parceria entre STTRANS e IFPB, irá dar bons frutos, será uma mão de obra qualificada para a sociedade e estaremos contribuindo para que o aluno do IFPB, além de se qualificar para o mercado de trabalho, tenha uma vivência com a mobilidade urbana”, finalizou o Superintendente Aldo Xavier.

 

Nessa primeira etapa seis alunos serão selecionados. A assinatura do convênio deverá acontecer na próxima semana. (PC)

Oliveira de Panelas e Jomaci Dantas mantém viva a tradição centenária da cantoria durante evento na cidade de Patos

 

(Jozivan Antero, no Patos Online)

 

Através dos esforços do poeta e repentista Jomaci Dantas, contando com apoio da Fundação Ernani Sátyro (FUNES), aconteceu na noite da última sexta-feira, dia 01, no auditório Emília Longo, na própria FUNES, o encontro de violeiros edição 2017. A cidade de Patos teve a honra de receber um dos maiores repentistas da América Latina, Oliveira de Panelas.

 

Durante quase três horas, Jomaci Dantas e Oliveira de Panelas recitaram poesias, cantaram repentes, fizeram desafios e mostraram a riqueza cultural da arte centenária e que continua sendo pauta de estudos devido à dimensão popular que continua a encantar pelo poder do improviso.

 

Com um público bem seleto, mesmo tendo entrada franca, o encontro de violeiros mostrou que a arte dos repentistas deve ser incentivada para a preservação das raízes culturais do Nordeste. As risadas com as poesias matutas, as “tiradas” típicas dos repentistas e o som da viola, eram agradecidas com aplausos. Após a apresentação foi servido um coquetel para os presentes.

 

Oliveira de Panelas deixou mensagem para o povo de Patos e Região. “Queridos amigos ouvintes da Rádio Espinharas, eu venho aqui para o sertão sempre feliz sabendo que aqui é a resistência e a coragem do homem universal. A nossa fé, a nossa cantoria, nossa crença e nossa força é sempre pedindo que os céus chorem de alegria para que a nossa terra fique com a água necessária e que o camponês, o roceiro, criado sinta-se feliz nesta terra tão abençoada…”, relatou Oliveira.

Copa Patoense de Futebol Carreiro, já se conhece os quatros semifinalistas

 

(Patos Esporte, 08/12/2017 –  13:12)

 

Copa Patoense de Futebol Carreiro, Competição nunca visto antes em nenhuma outra gestão passada, teve a participação de 62 equipes, incluindo mais de 1300 atletas, esta iniciativa brilhante foi do secretário de esportes Nalfrânio Sátiro, apoio da prefeitura municipal de Patos, no seu novo jeito de governar, com parceria da nossa renomada Indústria de Bolas e Chuteiras Carreiro, empresa que nos orgulha por ser patoense.

 

Confira os resultados da última rodada das quartas de finais.

 

                                     JARDIM QUEIROZ 0 X 0 LEÃO DO MORRO.

Nos pênaltis, o Jardim Queiroz venceu pelo placar de 5 x 4, ficando com a terceia vaga das semifinais.

                                  AMIGOS DO BEIRAL 1 X 1 RUA DO MEIO.

Nas penalidades máximas, a equipe da Rua do Meio venceu por 4 x 2 e ficou com a última vaga das semifinais.

 

                                               JOGOS DAS SEMIFINAIS:

 

                                          PÃO DO JATOBÁ  X  BUCHADA WOLRD 

 

                                          JARDIM QUEIOZ  X  RUA DO MEIO 

(edição: Paulinho Cabeça Fria)

SINFEMP denuncia atraso de salário de servidores municipais

07 de dezembro de 2017, 08:43

 

(Sinfemp.com.br)

 

O SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região denuncia que as Prefeituras de Areia de Baraúnas, Cacimba de Areia, Emas, Olho D’água e Quixaba ainda não pagaram salários dos servidores municipais referentes ao mês de novembro, apesar de terem recebido normalmente os recursos do governo federal no tocante ao Fundo de Participação do Município, como também do FUNDEB.

 

Os valores recebidos pelos municípios no mês de novembro, foram os seguintes:  Areia de Baraúnas, recebeu R$ 873.622,41. Cacimba de Areia, R$ 928.593,49. Emas, R$ 937.471,75. Olho D’água, R$ 1.102.000,62. Quixaba, recebeu R$ 892.585,02.

 

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, esses prefeitos e prefeitas já estão antecipando o não pagamento do 13º salário até o dia 20 de dezembro, como também o pagamento do referido mês até o dia 30, iniciando o ano de 2018 com atraso de pagamentos.

 

O SINFEMP vai acionar o Ministério Público como também entrar com ações pedindo o bloqueio dos recursos, assegurando assim o pagamento dos servidores do quadro efetivo do município.

 

O sindicalista José Gonçalves denunciou que todas essas prefeituras tem um grande número de contratados e comissionados sem a mínima necessidade e que o sindicato já formulou denúncias este ano junto ao Ministério Público, mas que as gestões continuam fazendo vista grossa.

 

O indicativo da entidade é que nenhum servidor iniciar suas atividades no ano que se inicia caso estejam com seus salários atrasados, mas ao mesmo tempo o sindicato vai acionar a justiça, fazer as mobilizações locais, denunciando a situação.

 

Comentário do programa – Todo final de ano, muitas prefeituras passam por dificuldades para o pagamento dos seus servidores, uma vez que têm que pagar três salários em pouco mais de trinta dias, já que têm que pagar novembro, dezembro e décimo terceiro. Antigamente, quando tinham muitos contratados, muitas edilidades dispensavam os contratados da Educação, por exemplo, durante as férias de fim de ano.  Constatei muito isso, quando na condição de fiscal do trabalho fazia levantamentos de débitos do FGTS e via as folhas de dezembro e janeiro serem reduzidas de muito com a dispensa dos contratados. Mais recentemente tivemos informações de prefeituras que simplesmente dispensavam todos os comissionados durante o mês de dezembro e os readmitiam no início do ano, reduzindo em muito a folha de dezembro. São manobras aparentemente legais, mas que causam constrangimento a pais de família que dependem desse dinheiro para pagar suas contas. A legislação trabalhista, no caso das empresas determina que a primeira parcela do décimo terceiro seja paga até 30 de novembro e a segunda parcela até 20 de dezembro. Mas é muito comum irem pagando o décimo terceiro, na medida em que os empregados tiram suas férias. Quando chegam ao final do ano, só têm décimo terceiro a pagar de quem ainda não tirou férias ou não tem ainda férias para tirar. Outras pagam a primeira parcela, quando os empregados tiram férias, ficando apenas a metade do décimo terceiro para pagar em dezembro. (LGLM)

Wellington Roberto anuncia voto contra Previdência: “Ameaças não surtem efeito”

 

(Walter Santos)

 

O deputado federal Wellington Roberto revelou em entrevista ao Portal WSCOM que a ameaça do Governo e dos partidos de expulsar quem votar contra a Reforma da Providência não vai surtir efeito, e prevê derrota governista anunciando voto contrário à reforma.

 

– No Plenário, com quem conversamos ou vota contra, ou está em dúvida com medo do eleitor no próximo ano – avaliou ele acrescentando:

– Não tenho receio nem vou recuar da decisão tomada de votar contra a Reforma Previdenciária proposta pelo Governo – frisou.

,

Wellington previu que no caso da Bancada da Paraíba haverá aumento dos votos contra a Reforma motivado pelo medo das urnas.

 

Estudo sugere propostas para reduzir desigualdade nas universidades

 

(Folha de São Paulo)

 

Nessa semana, o Jornal Nacional está exibindo reportagens sobre um relatório do Banco Mundial com propostas para aumentar a eficiência do governo brasileira. Entre outras medidas, o estudo sugere que os alunos das classes mais altas paguem para estudar nas universidades públicas. O banco diz que é uma maneira de cortar gastos, sem prejudicar os mais pobres.

 

Fazer medicina é o sonho de muitos estudantes brasileiros. Mas entrar na Universidade Federal de São Paulo significa vencer uma batalha: são 141 candidatos por vaga. A Unifesp é uma das 63 universidades mantidas pelo Governo Federal.

 

O gasto da União com essa rede de ensino representa 31% do total dos recursos destinados à educação. Mas o acesso à faculdade pública, segundo o economista Sérgio Firpo, é injusto e beneficia quem tem mais dinheiro.

 

“O pai gasta do zero aos 18 uma quantidade bastante alta de recursos para que o filho depois economize ou porque a família economiza durante quatro ou cinco ou seis anos. Isso faz com que apenas aqueles mais ricos tenham capacidade de competir pelas vagas do ensino superior público gratuito”, destaca Sérgio Firpo, economista do Insper.

 

Dá para comparar a situação com uma prova de atletismo em que os alunos que veem das escolas particulares largam em vantagem. Muito à frente dos estudantes de escolas públicas. O final dessa prova é fácil de prever. Segundo o Banco Mundial, em 2015, 65% dos estudantes das federais pertenciam à faixa mais rica da população. Enquanto só 20% faziam parte do grupo mais pobre. Para reduzir a desigualdade e também ajudar no ajuste das contas públicas, o banco indicou uma saída polêmica: que os alunos mais ricos paguem para estudar em faculdades públicas.

 

“Nós não estamos sugerindo que o ensino superior tem que ser pago por todos. Nós estamos sugerindo que o ensino superior pode ser pago por pessoas que podem pagar”, diz Pedro Olinto, coordenador da área de desenvolvimento humano e pobreza do Banco Mundial.

 

A inspiração vem do modelo adotado há 20 anos na Inglaterra. “Abandonou o ensino público gratuito, introduziu mensalidade gradualmente, com ajuda de empréstimos e de bolsas, focados realmente em quem precisava e os estudos mostram que tiveram resultados muito bons, não só na qualidade do ensino, mas também na equidade do acesso à universidade”, destaca Pedro Olinto.

 

Um outro estudo, feito pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de ensino superior, mostrou que em 2010, mais da metade dos alunos era das classes A e B. Quatro anos depois, a situação mudou. Dois em cada três alunos de universidades federais passaram a ser das classes D e E.

 

A explicação, segundo a Andifes, está no sistema de cotas sociais. Hoje as universidades federais já destinam metade de suas vagas para os alunos que fazem o ensino médio em escolas públicas.

 

“A adoção de políticas de ação afirmativa ele foi fundamental para que a universidade acolhesse os alunos de baixa renda, os alunos egressos da escola pública em maior número”, destaca Emmanuel Zagury Tourinho, presidente da Andifes.

 

“Eu vim de escola pública, eu nunca teria condições de pagar o ensino superior privado e muitos dos meus amigos vêm dessa mesma realidade”, comenta Pablo Juliano da Cruz Garcia, estudante de engenharia ambiental.

 

O Banco Mundial sugere que, nas universidades públicas, o governo dê bolsa de estudo integral aos 40% mais pobres e que, além de cobrar mensalidade dos mais ricos, financie os estudos da faixa intermediária de renda, por meio do Fies. Com essas medidas, o banco calcula uma economia equivalente a 0,5% do PIB.

 

“Arrecadar algum recurso de alguns alunos que podem pagar, em alguns cursos, certamente deveria ser uma forma de ajudar a lidar com essa crise financeira em algumas universidades”, diz Pedro Olinto.

 

“A instituição de um Fies, como compensação para a cobrança de mensalidade, na verdade, não resolve o problema da exclusão social que vai haver na universidade pública se houver cobrança de mensalidade”, diz o presidente da Andifes.

 

Mas é preciso também melhorar a eficiência dos recursos disponíveis, destaca o relatório do banco. “A recomendação do relatório é aprender com as universidades mais eficientes”, comenta Olinto.

 

Problemas financeiros afetam também o ensino superior bancado pelos estados. A Universidade do Estado do Rio, por exemplo, precisa de R$ 430 milhões para fechar as contas este ano. O estado não tem dinheiro.

 

A situação da universidade é crítica. Funcionários, professores e estudantes estão em greve.

Por falta de pagamento de salários, décimo terceiro de 2016 e também de bolsas de estudo para alunos e pesquisadores.

 

Segundo a Uerj, a captação de recursos vem sendo buscada para financiar pesquisas. Mas o panorama da economia, notadamente no estado, tem frustrado esses esforços.

A Unicamp, no estado de São Paulo, também depende dos recursos públicos. Na revisão orçamentária, publicada em setembro, o déficit previsto para 2017 passa dos R$ 290 milhões. Mas as parcerias com a iniciativa privada, que vêm de longa data, têm ajudado.

 

Segundo o reitor da Universidade Estadual de Campinas, a contribuição gira em torno de 3% do orçamento destinado à pesquisa. “A gente aqui tem e precisa ter uma participação muito forte do governo no nosso financiamento, mas diversificar as fontes de recurso é importante principalmente nos momentos de crise e também para dar um salto de qualidade. Temos diversas empresas que estão trabalhando no sentido de colaboração em pesquisa. Então, financiam as vezes laboratórios, bolsas de pesquisa, e isso tem funcionado bem e cada vez mais”, afirma Marcelo Knobel, reitor Unicamp.

 

Na engrenagem do ensino público, o Banco Mundial aponta um outro entrave. Diz que o aluno de uma universidade federal custa duas ou três vezes mais do que o estudante de uma faculdade particular. Acrescenta que o gasto é superior ao de países como Espanha e Itália. E que o conhecimento acumulado no fim do curso não corresponde ao valor investido.

 

“Acho que a contribuição principal do relatório é mostrar que o valor agregado entre as universidades públicas e privadas não é muito diferente”, destaca Olinto.

 

Segundo o presidente da Andifes, o gasto maior compensa quando a gente observa o ranking do MEC sobre a qualidade do ensino superior. Das 50 universidades mais bemcolocadas, 37 são federais.

 

“A educação superior publica não é um cursinho. A educação superior pública é um sistema público de inclusão de formação de recursos humanos altamente qualificados e de produção cientifica e tecnológica indispensável para o desenvolvimento econômico e social do país”, afirma o presidente da Andifes.

 

“Ensino superior de qualidade ele é público. Se a gente fosse capaz de mudar a forma como se gasta em educação no Brasil. A gente poderia produzir mais com os mesmos recursos que a gente tem”, diz o economista do Insper .

 

Para os estudantes, a saída é simples. “Melhorar o ensino básico e aí o ensino superior ele vai melhorar também consequentemente”, destaca uma estudante.